quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Sindicato dos Jornalistas de SP recorre ao MP para que portais registrem seus profissionais

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) foi ao Ministério Público do Trabalho, na segunda-feira (6/2), para entender como pode interceder nos casos de profissionais de comunicação dos sites Terra, iG, entre outros. Nessas empresas, os funcionários não são registrados como tal.

"A situação dos portais é muito grave porque eles não reconhecem que existem jornalistas trabalhando para eles", ressaltou o secretário-geral do Sindicato, André Freire, em entrevista ao Portal IMPRENSA. "Temos uma relação de trabalho do século XIX com ferramentas do século XXI", disse, ainda.
Crédito:Divulgação
Presidente do Sindicato em SP, José Augusto Camargo, defende registro profissional de jornalistas que atuam nos portais.

Além do SJSP, advogados do Sindicato dos Agenciadores de Propaganda e dos Trabalhadores em Empresas de Publicidade, que também enfrentam situação idêntica em suas redações, acompanharam a visita. Ambos foram aconselhados a procurar a Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical (Conalis) e a Coordenadoria Nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Emprego (Conafret).
Após visita às empresas jornalísticas em 2011, para abordar assuntos sindicais com seus empregados, a instituição se surpreendeu por não encontrar filiados. Diversos funcionários atualmente estão vinculados ao Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas e Cursos de Informática (Sindiesp). "Acredito que muitos jornalistas estão sendo prejudicados com isso, porque eles estão fora das organizações de trabalho, sujeitos a todos os tipos de irregularidades", ressaltou Freire.

Procuradas, as assessorias do Terra e do iG ainda não se pronunciaram sobre o assunto.
Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais.

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.