terça-feira, 10 de janeiro de 2012

F5 encontra família com aparelho que mede ibope da TV

Assim como duendes, gnomos, elfos e leprechauns irlandeses, muita gente também não acredita na existência dos aparelhos do Ibope que medem a audiência da TV brasileira. Isso termina hoje, porque finalmente o "F5" encontrou uma família da Grande SP que tem o famosíssimo e lendário "ibopômetro" instalado na sala de casa. Há 750 aparelhos iguais a este em São Paulo e cerca de 4.000 em todo o Brasil.


Márcio Neves/Folhapress
Aparelho de medição de audiência do Ibope em uma residência na grande São Paulo

Por respeito ao sigilo contratual da família, o "F5" não identificará o local em que fotografou o aparelho, chamado oficialmente de "peoplemeter". O ibope escolhe as famílias nas quais instala o aparelho mediante análise de dados de censo obtidos pelo IBGE.

A ideia do Ibope é que essas famílias eleitas representem uma amostragem "sincera" de todas as camadas da sociedade. Cada ponto de ibope de um canal equivale a 58 mil residências sintonizadas nele, por exemplo.



Essa amostra "social" é importante também porque é a partir dela que anunciantes e agências decidem se, quando e em que horário vão pagar para exibir seus produtos em propagandas na TV --ainda o veículo de maior alcance no país. Em 2011, a publicidade no país movimentou cerca de R$ 20 bilhões, sendo que a TV aberta abocanhou 63% desse montante. O faturamento da Globo em 2011 chegou a R$ 11 bilhões.

Veja na imagem e arte abaixo que cada pessoa na residência ganha um número de identificação (a família deve ter no máximo 8 pessoas).

Editoria de Arte/Folhapress

Se um morador está sozinho na sala ou decide em nome da família o que todos vão assistir, essa pessoa clica em seu próprio número (em vermelho, de 1 a 8), e depois informa quantas pessoas da família estão assistindo junto (em verde, de 1 a 8 também). Também informa se há só homens, só mulheres ou homens e mulheres na sala, bem como a faixa etária de todos diante da TV.

O aparelho está conectado diretamente ao ibope. A partir desses dados o instituto monta o cálculo de ibope em tempo real, e faz os relatórios mensais da Grande São Paulo e do país (o chamado Painel Nacional de Televisão).

SEM CACHÊ

As famílias procuradas pelo Ibope precisam optar voluntariamente em ter e manusear o aparelho sem receber nenhuma bonificação do Ibope por isso. No máximo, podem ganhar brindes, como utensílios domésticos.

A eficácia e a própria existência do aparelho fora colocada em dúvida várias vezes. Cerca de sete anos atrás, irritado com o baixo ibope que a medição lhe atribuía, o apresentador Ratinho, do SBT, ameaçou criar um concurso no qual daria um carro 0 km ao primeiro telespectador que levasse ao seu programa um aparelho "peoplemeter". Ele chegou a fazer essa "ameaça" no ar, mas nunca a levou a cabo, pois a cúpula do SBT o fez mudar de ideia.

Também na década passada, o próprio Silvio Santos tentou bancar a entrada de uma nova medição de audiência, mas o projeto fracassou. A suspeita era que a medição favoreceria a Globo, o que o Ibope nega.

No ano passado, novamente surgiram informações de que a multinacional Nielsen poderia investir na criação de uma medição paralela. Isso até agora não se concretizou, e o Ibope segue com o monopólio do cálculo de audiência.

Fonte: Coluna de Ricardo Feltrin, jornal FOLHA DE SÃO PAULO

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.