sexta-feira, 8 de julho de 2011

Nelson Rodrigues: publicação reúne 50 críticas a respeito do jornalista

Incompreendido e mal-interpretado por muitos, ele nunca quis ser uma unanimidade – e nunca foi, em vida. Esse foi o perfil de Nelson Rodrigues, jornalista e escritor considerado o maior dramaturgo brasileiro de todos os tempos apenas anos após sua morte.

Tendo essa incompreensão em vista, a revista de ensaios Folhetim, do grupo carioca Teatro do Pequeno Gesto, reuniu um dossiê de críticas dirigidas a Nelson. São 98 artigos escritos entre 1942 e 2009, fruto de pesquisa em 15 periódicos nacionais.

Em formato de livro, a publicação celebra os 20 anos da companhia de teatro, cujas comemorações preveem também uma versão de Antígona, de Sófocles, e a montagem de Teatro dos Ouvidos, Valère Novarina.

A obra tem 432 páginas e reúne material digno de colecionador, como uma crítica sem assinatura, publicada no Diário de Notícias em 1942, sobre “A Mulher sem Pecado”, texto de estréia de Nelson, em que o autor da crítica afirma que “o sr. Nelson não faz teatro”.

Nelson Rodrigues e sua obra também são motivo de divisão entre os jornalistas. Em um artigo sobre “Boca de Ouro” no jornal Última Hora, em 1961, o escritor e jornalista Paulo Francis assume já ter escrito “muita besteira” a respeito das obras rodrigueanas. O próprio diretor do Teatro do Pequeno Gesto, Antonio Guedes diz que “Nelson não é consenso total. Até hoje tem gente que não entende suas peças”.

Folhetim será lançado dia 20/07 pela editora Pão e Rosas, mas já pode ser adquirido por meio do endereço: folhetim@pequenogesto.com.br, a R$ 35. 




Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.