segunda-feira, 11 de julho de 2011

"Caguei. Caguei montão", dispara Ricardo Teixeira contra denúncias da imprensa

A entrevista que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, concedeu à revista Piauí, de julho, causou indignação entre os jornalistas esportivos. Na conversa com a repórter Daniela Pinheiro, o dirigente ameaça impedir o credenciamento do profissional que bem entender para a Copa do Mundo de 2014, que terá o País como sede.

“Em 2014, posso fazer a maldade que for. A maldade mais elástica, mais impensável, mais maquiavélica. Não dar credencial, proibir acesso, mudar horário de jogo. E sabe o que vai acontecer? Nada. Sabe por quê? Porque eu saio em 2015. E aí, acabou”, diz Teixeira.

A ira do chefão da CBF não é apenas com a imprensa brasileira, mas também com os jornalistas da BBC. Inclusive, boa parte das denúncias contra Teixeira, que serviu de material para a TV Record, surgiu da investigação do repórter da emissora britânica Andrew Jennings, que recentemente lançou o livro Jogo Sujo - O mundo secreto da Fifa: Compra de votos e escândalo de ingressos.

Para Cosme Rímoli, colunista do R7, a postura do homem-forte do futebol brasileiro representa alguém que tem a percepção que irá se manter à frente da CBF até o momento que quiser, mesmo sendo alvo de inúmeras denúncias. “Isso tudo é absurdo, representa o resquício que sobrou da Ditadura Militar no Brasil. É a desmoralização do futebol brasileiro”, criticou.

Não é novidade
Ter problema para se credenciar em alguma competição que tem a presença da seleção comandada por Teixeira não é novidade para Juca Kfouri, da ESPN, CBN e Uol. Em contato com o Comunique-se, o comentarista declara que chegou a receber um comunicado da Fifa informando que ele não poderia cobrir a Copa do Mundo de 1998. Porém, a proibição durou apenas quatro dias, revela o próprio jornalista.

Sobre a entrevista publicada pela Piauí, Kfouri comenta que o cartola finalmente mostra para a mídia o verdadeiro jeito. “Como escrevi no meu blog, a matéria revela o homem (Ricardo Teixeira) em toda a sua dimensão”, analisa.

“Só vou ficar preocupado quando sair no Jornal Nacional” Teixeira não apenas critica a imprensa, mas também desdenha das denúncias jornalísticas que o acusam de corrupção e outros crimes. Algumas frases do dirigente repercutiram na internet e foram republicadas, por exemplo, no blog de Cosme Rímoli.

“Não ligo. Aliás, caguei. Caguei montão”, “só vou ficar preocupado, meu amor, quando sair no Jornal Nacional” e “A imprensa brasileira é muito vagabunda... Não leio mais porra nenhuma, a vida ficou leve para cacete, tá muito bom” foram frases que Teixeira ‘disparou’ contra as denúncias que vêm da imprensa.

Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.