quinta-feira, 12 de maio de 2011

Assassino de jornalista condenado à prisão perpétua

Dois nacionalistas russos, integrantes de grupos paramilitares, foram condenados à prisão perpétua pelo assassino de uma jornalista e de um advogado envolvido em causas de direitos humanos. 

Nikita Tikhonov e sua namorada, Yevgenia Khasis, assassinaram Stanislav Markelov, advogado, e Anastasia Baburova, que trabalhava no jornal Novaya Gazeta e retratava abusos dos direitos humanos na Rússia. Anastasia também noticiava a atuação de mílicias paramilitares no país. O crime aconteceu em 2009.

O Portal IMPRENSA noticiou, em 23 de abril desta ano, que o tribunal russo havia chegado a consenso sobre o destino dos dois. Conforme informava nota, a extensão das condenações seria informada no mês de maio.

Tikhonov foi sentenciado à prisão perpétua; sua amasia a 18 anos de reclusão.

O casal pertencia ao Russian National Unity (RNU), uma das milícias paramilitares reportadas pela jornalista e denunciada pelo advogado. 

O assassinato dos dois, de acordo com o Ibtimes, ocorreu à luz do dia, em uma movimentada praça da capital russa, Moscou. Isso causou embaraço ao governo, acusado de fazer vistas grossas a crimes contra opositores.

Anastasia é a segunda repórter do Novaya morta por investigar assuntos referentes à violação dos direitos humanos. Em 2006, Anna Politkovskaya foi assassinada, depois de publicar uma série de reportagens sobre o abuso e violência de tropas russas que atuavam na Chechênia. Suspeita-se que ela tenha sido executada por integrantes do exército. 

Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais.

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.