sexta-feira, 25 de março de 2011

RSF afirma que Paquistão ainda é o país mais perigoso para imprensa


O Paquistão ainda figura como o país mais perigoso para o exercício do jornalismo considerando os registros de motes de profissionais de imprensa dos últimos 13 meses, informa um relatório da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) divulgado nessa semana.  

De acordo com o levantamento da entidade que milita em defesa da liberdade de imprensa, 13 jornalistas foram mortos no país nos últimos treze meses. 

"Com a fronteira com o Afeganistão, com as tensões com a Índia e sua história política caótica, o Paquistão é uma das nações mais complexas em que os jornalistas se deparam com uma série de problemas, que incluem ameaças terroristas, violência policial, o poder desmedido de autoridades locais e os perigosos conflitos tribais", observou a RSF em seu relatório para explicitar alguns dos motivos que deram ao país o título de mais perigoso aos jornalistas. 

"A mídia paquistanesa é ainda muito jovem e, muitas vezes, inexperiente. Devido a falta de recursos e à ignorância dos mecanismos de proteção, os veículos noticiosos, muitas vezes, enviam seus repórteres às áreas mais perigosas sem que haja qualquer garantia ou segurança. Ao mesmo tempo, as autoridades têm pouco consideração por aqueles profissionais que mantêm em evidência assuntos que desagradam", acrescentou a RSF. 
Fonte:As informações são do Journalism.co.uk., via Redação Portal IMPRENSA, http://portalimprensa.uol.com.br/portal/ultimas_noticias/2011/03/18/imprensa41129.shtml
Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais.
  

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.