terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Veículos e internautas criam alternativas para ajudar população da região Serrana do RJ


Além da cobertura jornalística, alguns veículos encontraram formas de ajudar a população da região Serrana do Rio de Janeiro, vítima do maior desastre natural do Brasil, que causou mais de 600 mortes e milhares de desalojados. Os deslizamentos de terra começaram na última semana, no dia 11/1.

Vivos e desaparecidos
O G1, por exemplo, em sua home exibe os canais
“Estou vivo” e “Procura alguém?”. A primeira seção reúne mais de 40 fotos e depoimentos de sobreviventes que, sem luz e telefone, avisam à reportagem que estão bem. A segunda página exibe mais de 90 nomes e fotos de pessoas desaparecidas, e um caso de sucesso: uma pessoa que foi encontrada por amigos após sua foto ser divulgada pelo site. O espaço é alimentado pela equipe do G1 e pelos próprios amigos e familiares das vítimas, que enviam os dados.
Arrecadações
O Jornal do Brasil também está colaborando e recebe, na sede do veículo, doações para as vítimas da região. O JB enfatiza que os itens preferenciais são colchonetes, travesseiros, roupas de cama, roupas e velas. O posto de arrecadação funciona 24 horas na Rua Paulo de Frontin, 568, Rio Comprido, Zona Norte do Rio.

Iniciativa de internautas
Alguns internautas também decidiram ajudar. É o caso do estudante de jornalismo Bernardo Dugin
(@bdugin), de 21 anos, que fez uma transmissão ao vivo pelo twitter por meio de uma webcam, com informações que recebia de amigos e familiares, sobre a situação em Nova Friburgo, na última quinta-feira (13/10). Com o serviço, o estudante passou de 200 para 1.309 seguidores.

Outra internauta criou a conta
@regiaoserrana1, que divulga notícias e informações de como os tuiteiros podem colaborar com as vítimas do desastre. O perfil tem 1.062 seguidores.

Fonte: site Comunique-se


Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.