sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Fenaj elabora relatório anual sobre violência contra jornalistas no Brasil

Dados e denúncias recebidos pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Ceará (Sindjorce) sobre violência sofrida por jornalistas no Estado integrarão o Relatório Anual da Violência contra Jornalistas, elaborado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). A entidade pretende fazer uma parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência para levantar outros indicadores sobre violações de direitos e da liberdade de expressão no país.

De acordo com o Sindijorce, as denúncias de violência contra profissionais de imprensa teriam ocorrido na jurisdição dos 31 Sindicatos que representam a categoria no país, além de pesquisas feitas em vários veículos de comunicação. Só em 2009, foram registradas 58 agressões a jornalistas, sendo três no Ceará.

Na última semana, diretores da Fenaj se reuniram com o ministro da Secretaria de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, para apresentar os dados do estudo. O presidente da Fenaj, Celso Schröeder, declarou que os meios de comunicação brasileiros e estrangeiros ainda disputam a apropriação dos conceitos de liberdade de expressão e de imprensa, tentando colocar-se "como seus guardiões".

"A nossa tarefa, portanto, mostra-se cada dia mais grandiosa e mais difícil: temos de esclarecer à sociedade que somos os verdadeiros defensores da liberdade de expressão, como direito individual de cada cidadão, e da liberdade de imprensa, como direito coletivo que tem por finalidade garantir o direito dos cidadãos de se expressarem livremente", completou.

O relatório também mostrará casos de censura interna em veículos de mídia, após decisões editoriais que impedem o trabalho independente do profissional. "Mesmo sofrendo censura, agressões, ameaças, assédio, muitos colegas acabam silenciando por temer retaliações", disse Shröeder.

Fonte: na íntegra do Portal da Imprensa

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário

Queremos saber sua opinião, então, fique à vontade e comente.